MAIS DO QUE EMOÇÃO, É INTELIGÊNCIA! – A inteligência emocional e suas atitudes

Entender o comportamento humano é algo que me inspira a buscar novos conhecimentos. Falo isso, pois, confesso que eu achava que para a grande maioria de nossas perguntas não existia uma resposta, então era melhor nem perguntar…

Isso pode ter sido o resultado do meu comportamento em sala de aula. Sim, pode parecer até mesmo sem nexo, mas eu já cheguei a acreditar que era muito melhor não fazer tantas perguntas já que as respostas não eram tão fáceis de serem encontradas. Podemos considerar isso, até mesmo, um certo comodismo, pois é confortável ficar nessa posição. A verdade é que, hoje eu sei que se nos aprofundarmos no conhecimento, encontraremos explicação para muitas coisas e o aprender e o conhecer fazem parte do desenvolvimento e do crescimento de todo ser humano.

Acredito que se chegarmos ao ponto de saber absolutamente tudo entraremos em um estágio onde as coisas irão perder o significado, portanto o descobrir deve ser um verbo usado no imperativo, onde uma ordem deve ser dada aos nossos ouvidos para que possamos querer descobrir muito mais do que podemos imaginar… E, assim, não parar nunca, pois quer você acredite ou não o aprendizado é algo infinito!

Novos parâmetros e perspectivas são colocadas diariamente para todos nós. A redefinição do que é ser inteligente é uma delas! Quando apresentada, a Teoria da Inteligência Emocional revolucionou a Educação. Dar ênfase na consciência das emoções como fator essencial para o desenvolvimento da inteligência do indivíduo, mostra de forma clara que a incapacidade de lidar com as próprias emoções pode minar a experiência escolar, acabar com carreiras promissoras e, até mesmo, destruir vidas!

O fato é que muitos profissionais não se desenvolvem no mercado de trabalho por uma simples razão, os mesmos não conseguem lidar com o fator emocional. Falta habilidade, consciência e até mesmo inteligência para resolver conflitos, trabalhar em equipe, controlar impulsos e desenvolver hábitos de convivência que fariam todo a diferença na sua atuação. Essas pessoas têm conhecimento e capacidade indiscutíveis, mas falta-lhes o “jogo de cintura”, o saber lidar com a situação.

O fracasso e a vitória não são determinados por algum tipo de loteria genética. Tudo é uma questão de oportunidade, de estar preparado, de esforço, de determinação e, principalmente, de aprendizado! Se algo não está dando certo em razão do seu temperamento, tenha a certeza que isto não é um destino e você não terá que morrer assim! Muitos dos circuitos cerebrais da mente humana podem ser trabalhados, desenvolvidos e transformados. Só existe um único detalhe: é você quem define por onde começar!

Otimismo e esperança podem ser aprendidos! Desenvolver a autoeficácia vai além do simples aprendizado. A crença de que somos capazes de exercer controle sobre os fatos de nossa vida e de que podemos enfrentar os desafios que surgirem nos tornam mais fortes e confiantes. As pessoas que têm o senso de autoeficácia se recuperam de fracassos e passam a abordar as coisas mais em termos de como lidar com elas do que se preocupando com o que pode dar errado!

Isso parece interessante? Claro que sim! No meu Blog (www.danieladevides.com.br) estão publicados vários textos que falam sobre isto. Descobrir novos mecanismos para uma vida de Felicidade é o caminho de encontro para o seu próprio desenvolvimento. Ser inteligente é ser feliz, no mais amplo significado desta afirmação! A vida está aí para ser vivida, e ela é a mais bela cascata de emoções com a mais pura água de inteligência! Busque aquilo que somente você é capaz de encontrar!

Add A Comment